Atenção, formigas trabalhando! Pesquisa divulga a ciência e chama a atenção para a conservação de formigas.

formiga

Muitas pessoas veem as formigas como praga, um erro que levou a doutoranda Mariana Rabelo, que desenvolve pesquisa em Ecologia Aplicada na Universidade Federal de Lavras (UFLA) , a buscar desmistificar a aversão e a desinformação sobre o inseto. Assim, nasceu o Projeto “Formigas em Ação”, coordenado por ela com a colaboração da professora Carla Rodrigues Ribas, responsável pelo Laboratório de Ecologia de Formigas da Universidade. O futuro com floresta fez uma entrevista exclusiva com a Mariana. Confira!

Futuro com floresta: Qual é a importância da divulgação da ciência para promover a conservação ambiental?

Mariana Azevedo, coordenadora do projeto “Formigas em ação”

Mariana: “A divulgação científica é muito importante como uma ferramenta para a popularização da ciência e do conhecimento. Ela favorece o diálogo entre a comunidade acadêmica e os demais atores sociais. Com a divulgação da ciência podem ser construídos espaços de trocas entre conhecimentos científicos,tradicionais e populares. Com isso,facilitar a construção de ações e políticas públicas que contribuam para a conservação ambiental e para gestão dos recursos naturais. Pois quando a sociedade se apropria do que são os recursos naturais, quais são os deveres como cidadão na conservação das espécies, elas começam a entender o funcionamento do ambiente em que  vivem e que são parte integrante daquele local e que não são meras observadoras. Assim, elas fazem parte daconstrução de ideias e da indentificação d problemas e  soluções . A divulgação científica também pode ajudar os gestores, os tomadores de decisão e a comunidade, despertando sobre como podem ser organizar. A utilização disso nos meios de educação promove o despertar, o conhecimento e o interesse das pessoas em fazer perguntas, propor e fazer novas investigações  utilizando seus resultados em prol da sociedade”.

Futuro com floresta: O que te motivou estudar as formigas?

Mariana “O que me motivou estudar as formigas foi o fascínio pelas interações ecológicas que elas realizam com diversas  plantas e animais. Esse interesse me foi despertado logo no início da graduação em biologia, pelo interesse particular em ecologia e pelas oportunidades de realizar estágios, trabalhos e pesquisas relacionados às formigas. Com o passar do tempo, dos estudos percebi que apesar das formigas serem um dos grupos de insetos mais diversos e abundantes e ter relevante importância ecológica e sociocultural, geralmente as pessoas as veem de forma negativa, como pragas. Essa associação muitas vezes está relacionada a situações em que as formigas causaram algum incomodo, dano ou prejuízo, como danos em  hortas, jardins, construção de ninhos dentro das suas casas ou de eletrodomésticos. O que faz com que as  pessoas associem as formigas a estes problemas e seus benefícios e importância ecológica e cultural  fiquem em segundo plano.. Pensando nisso, eu sempre tive interesse em falar o quanto às formigas são legais e o quanto de funções ecológicas elas realizam no ambiente como a ciclagem de nutrientes, controle biológico de outros animais e dispersão de sementes. Eu queria compartilhar com as pessoas esses conhecimentos que eu vim adquirido ao longo dos meus estudos para ajudar a desmistificar essa relação negativa com as formigas”.

Formigas realizando interações com pulgões/Foto: Ernesto de Oliveira Canedo Júnior

Futuro com floresta: como surgiu a ideia dos vídeos e do projeto Formigas em Ação?

Mariana: “Durante as aulas que eu ministrei como docente voluntária na disciplina de Diversidade dos seres vivos,na Universidade Federal de Lavras, eu propus aos alunos de biologia que eles fizessem vídeos de divulgação científica sobre a diversidade dos seres vivos. Uma das apresentações dos alunos, foi sobre a polinização, e ela me deu um click. E eu falei  – olha essa é uma boa ferramenta para ser utilizada com divulgação sobre ecologia de formigas. E aí eu vi na possibilidade dessa atividade que eu propus, a idealização do projeto Formigas em Ação. Então eu convidei esse grupo de alunas para participar da elaboração dos vídeos,   o primeiro vídeo que produzimos foi sobre a dispersão de sementes por formigas, que é justamente o tema que eu estudo na minha pesquisa. A partir daí, trabalhamos ao longo de um ano na elaboração e na construção dos vídeos e foi muito prazeroso. A ideia do projeto é contar para as pessoas o que as formigas fazem, o que elas comem, ondeelas vivem, para que possam se aproximar desse organismo. Inicialmente fizemos  esse vídeo pensando no público infantil e que ele pudesse ser utilizado por professores e educadores em suas aulas e em atividades de Educação Ambiental em Unidades de Conservação, numa linguagem mais clara e de fácil acesso”.

Futuro com floresta: Quem compõe a equipe do projeto? E quem produziu os vídeos?

Mariana: “A equipe é composta por seis mulheres, biólogas, algumas formadas outras em processo de formação, mas que possuem o interesse em comum em divulgar a ciência sobre formigas em uma linguagem clara e acessível. Todas nós fazemos parte do Laboratório de Ecologia de Formigas (LEF) que é coordenado pela professora Carla Ribas na Universidade Federal de Lavras (UFLA) em Minas Gerais. A organização da nossa equipe foi inspirada na organização das formigas também. É a realização de um trabalho em conjunto, uma coprodução em que todas nós desenvolvemos e estamos ativamente trabalhando em todas as etapas do projeto, desde a concepção da idéia, criação do roteiro até a divulgação. A autoria dos desenhos é coletiva. A idealizadora e coordenadora do projeto sou eu a Mariana Azevedo Rabelo e também faço a produção, roteiro e voz da Rainha Minerva. A autoria dos desenhos é coletiva. A Dara Veiga Alves ficou responsável pelo cenário, a arte e a trilha sonora. A Gabriela Bandeira do Nascimento pelo desenho da rainha minerva e alguns elementos cênicos, arte e roteiro. A Izabela Thais Campos faz arte e voz da Menininha e a Paola Mayumi Ioshida Arikita faz a edição e arte de outros elementos cênicos. Também faz parte como colaboradora dos vídeos a professora Carla Rodrigues Ribas.”.

Futuro com floresta: Vocês esperam que as crianças tenham uma nova relação com as formigas a partir de agora?

Mariana: “Sim, nós acreditamos que o reconhecimento de quem são as formigas, o que elas fazem, qual a importância ecológica para o funcionamento e equilíbrio dos ecossistemas pode contribuir de uma forma bem positiva para despertar um novo olhar sobre as formigas pelas crianças. Se a gente parar pra pensar, as formigas estão inseridas no nosso dia–a–dia. É muito fácil dentro das nossas casas, praças, jardins encontrarmos as formigas. E no imaginário infantil a formiga é muito presente. Em desenhos animados, contos, fábulas, cantigas, pois é um animal que tem muito apelo com o público infantil. Elas fazem muito essa associação de que elas são trabalhadoras, vivem numa sociedade e unidas. Os vídeos podem contribuir com a associação da imagem das formigas com o papel que elas desenvolvem na natureza e isso pode criar uma relação mais afetuosa e carismática. As crianças quando se depararem nas suas atividades diárias com as formigas podem começar a pensar – o que será que elas estão fazendo? Olha! Elas são dessa cor e por aí vai… E isso pode gerar essa curiosidade e as crianças podem fazer novas perguntas, bem como despertar o interesse por outras espécies. A partir do primeiro vídeos recebemos mensagem de crianças que tiveram contato com o material produzido pelo projeto e que nos contaram que passaram a observar mais as formigas nas casas delas, subindo na árvore, demonstrando assim um olhar diferente. Para os próximos vídeos, nossa idéia é inovar para que elas vejam outras crianças com o objetivo de continuar, mas utilizando também as próprias crianças nos vídeos para que elas possam se ver em situações rotineiras. Esperamos que elas passem a se sentirem mais pertencentes a esse universo numa relação mais respeitosa com esses organismos”.

Formigas se alimentando do fruto de Melão de São Caetano/ Foto: Mariana Azevedo

Futuro com floresta: E aos agricultores que usam formicidas e inseticidas? Quais conseqüências podem causar no meio ambiente? E em casos de muitas formigas, casos que elas trazem prejuízos econômicos? Por que um ninho de formiga pode se tornar tão grande?

Mariana: “O tamanho dos ninhos das formigas varia de espécie para espécie de acordo com a sua biologia. Algumas espécies possuem ninhos que ocupam grandes áreas, com muitos indivíduos por colônia, como no caso das cortadeiras. E tem espécies que possuem ninhos pequenos e com poucos indivíduos . O que acontece é que com a idade do ninho ele pode aumentar de tamanho, mas no geral eles mantêm o mesmo tamanho. Existem manejos alternativos que podem minimizar o impacto de algumas formigas, como no caso das cortadeiras que são prejudiciais nos cultivos. Em processos de transição de sistemas de cultivos é muito possível que o ataque das formigas seja reduzido, mas pode ser que durante a transição seja necessário o uso de métodos convencionais de controle de formigas, como os formicidas. Contudo, quando se usa formicidas eles não só matam as formigas que são pragas,  como também matam as formigas que contribuem para o controle biológico de outras pragas, além de potenciais  polinizadoras. Por isso, é importante conservarmos as outras espécies de formigas presentes nos cultivos. Nós acreditamos que com a divulgação dos vídeos a gente possa alcançar não só as crianças, mas também os agricultores. A grande maioria das formigas não causa prejuízos aos cultivos e falar um pouco mais sobre as formigas e sobre o que elas estão fazendo nos locais de cultivo pode despertar a consciência dos agricultores sobre a seleção do manejo mais adequado. Além do mais. o usos desses produtos agroquímicos podem gerar prejuízos à própria saúde dos agricultores e dos consumidores dos produtos cultivados. Os agricultores quando passam a identificar as espécies e o comportamento das formigas, eles passam a ser mais capazes de escolher o manejo mais adequado para controle de formigas. As formigas cortadeiras, por exemplo, recolhem uma grande quantidade de folhas para alimentar os fungos que alimentam as formigas dentro dos seus ninhos. Nas lavouras há uma grande quantidade de recursos para manter sua reprodução, por isso, elas às vezes se tornam numerosas causando prejuízos”.

Ontem 03/12/2020, a Mariana participou de uma live no instagram do @palmeirasciense “Formigas e (re)conhecimentos ecológicos e sociais” e no YouTube vocês encontram os vídeos do projeto. Assista a seguir o primeiro vídeo “Dispersão de sementes por formigas”.


2 comentários em “Atenção, formigas trabalhando! Pesquisa divulga a ciência e chama a atenção para a conservação de formigas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: